Microfisioterapia

A Microfisioterapia é uma técnica de terapia manual que consiste em identificar a causa primária de uma doença ou sintoma e estimular a auto-cura do organismo, para que o corpo reconheça o agressor (antígeno) e inicie o processo de eliminação.

Técnica de Terapia Manual desenvolvida na França em 1983 pelos fisioterapeutas e osteopatas Daniel Grosjean e Patrice Benini Seu embasamento teórico iniciou pelos estudos da embriologia, filogênese e ontogênese. Com essas informações desenvolveram mapas corporais específicos (similares aos meridianos de Medicina Oriental) e gestos manuais específicos e suaves que permitem identificar a causa primária de uma doença ou disfunção e promovendo o equilíbrio e manutenção da saúde.

Diariamente, o nosso corpo luta contra agressões de todas as naturezas e diferentes intensidades, provindo do exterior (micróbios, toxinas, choques físicos ou emocionais) ou o interior (fraqueza de um órgão, cansaço, problemas existenciais). Geralmente, o nosso organismo autocorrige-se em silêncio sem que seja percebido. Contudo, se as informações não forem identificadas, não reconhecidas ou muito fortes, o corpo não pode reagir de forma eficaz: a agressão deixa então uma espécie de "cicatriz" nos tecidos, uma memória do acontecimento. Apesar deste vestígio, causar uma impressão de cura, o acúmulo destas memórias pode fazer com que uma dor apareça, uma doença se desenvolva, e que o corpo, se enfraqueça, sendo incapaz de lutar. Então, aparecem as dores e doenças crônicas.

A técnica consiste em identificar a causa primária de uma doença ou sintoma, através de micro palpações a nível tecidual vai ajudar na eliminação natural destas memórias que enfraquecem o nosso organismo, estimulando uma auto-cura. Quando liberado o obstáculo, o corpo vai então poder reencontrar as capacidades que perdeu, às vezes mesmo após anos. Assim ajuda a evacuar todos os traumas do passado ou presentes que guarda na memória celular e que o impedem de funcionar bem, como pequenos grãos de areia numa mecânica.

Uma sessão de microfisioterapia dura cerca de 45 à 60 minutos. Após ter exposto as razões da consulta, o paciente, ainda vestido, se deita sobre uma maca. O fisioterapeuta vai primeiro localizar e identificar as cicatrizes que obstruem o corpo controlando os ritmos vitais. Ao detectar uma perturbação, ele vai usar palpações sutis para re-informar o organismo da presença desta cicatriz. Assim o corpo vai reencontrar a memória do choque, concentrar-se nela para eliminá-la definitivamente.

O trabalho que o corpo inicia vai provocar um ligeiro cansaço durante 1 ou 2 dias. É, assim, indicado que o paciente descanse após a sessão (não fazer esforço físico desnecessário, não dirigir por um longo período de tempo…). Para que este cansaço seja mínimo, é aconselhado ingerir de 1,5 a 2 litros de água por dia nos próximos dias que seguem a sessão, para facilitar o trabalho de eliminação. É comum também os sintomas físicos como diarréia, vômito, aumento da dor, febre, crise emocional ou sentimento de raiva por um ou dois dias. Isso acontece como sinal de liberação das memórias agressoras, o paciente deve então descansar e deixar o sistema imunológico trabalhar, com o mínimo de interferência medicamentosa possível, não esquecendo de beber muita água.

Muitas doenças e dores se devem a pequenas disfunções que se acumulam durante a nossa existência e terminam por enfraquecer o organismo. Essas disfunções podem ter com causa uma frustração, perdas, sentimentos de abandono, traumas que ocorreram na gestação, intoxicações e até mesmo as memórias hereditárias. A microfisioterapia ajuda o corpo a eliminar estas “cicatrizes” e pode ajudar a melhorar muitos estados de saúde. Ajuda o organismo a fazer sua reconstituição, evacuando os vestígios tanto emocionais como traumáticos. Muitos dos problemas de saúde podem encontrar uma possibilidade de melhora com a microfisioterapia.

Pilates

"Se um indivíduo tem 20 anos e está encurtado, é um velho. Porém se tem 60 anos e tem flexibilidade e força é um jovem." Joseph Pilates

Pilates é um sistema completo de exercícios criado na década de 1920 pelo alemão Joseph Pilates. Utilizando exercícios em aparelhos e equipamentos que atendem à necessidade dos praticantes, o método destaca-se pela integração do corpo, mente e espírito. É considerado por especialistas e praticantes como o método mais eficiente de condicionamento físico da atualidade.

Todos os exercícios têm como foco o fortalecimento do “Power House” ou Centro de Força, que é formado pela musculatura do abdômen, lombar, glúteos e assoalho pélvico. Acredita-se que o centro do corpo forte proporciona estabilização para que se possa produzir movimentos de forma ereta e alinhada, evitando compensações e contemplando a simetria. Com os músculos abdominais fortes e a postura correta, provavelmente não existiria dor lombar, segundo Joseph.

As aulas se resumem em:

Exercícios suaves e eficazes;
Poucas repetições de cada movimento;
Grande repertório de exercícios;
Aulas individuais, duplas ou trios;
Uso de aparelhos e acessórios criados especialmente para os exercícios;
Resultados rápidos e duradouros;
Construção de uma postura correta e natural.

Benefícios:

Alongamento e maior controle corporal;
Correção postural;
Aumento da flexibilidade, tônus e força muscular;
Alívio das tensões, estresse e dores crônicas;
Melhora da coordenação motora;
Maior mobilidade das articulações;
Estimulação do sistema circulatório e oxigenação do sangue;
Facilita a drenagem linfática e eliminação das toxinas;
Aumento da concentração;
Trabalha a respiração;
Promove relaxamento.


O Pilates tem sido muito utilizado na reabilitação das disfunções causadas por doenças como hérnias de disco, escolioses, dores na coluna vertebral, ombros, joelhos, tornozelos, pós cirúrgicos, artroses, doenças neurológicas, gestantes, idosos, ou seja, sempre que houver necessidade de reabilitar ou condicionar o corpo.

R.P.G.

Uma decisão pode mudar e melhorar toda a sua vida. Muitas pessoas têm considerado a atividade física um dos principais fatores para melhorar a qualidade de vida – o grande desafio da sociedade moderna. No entanto, em muitos casos ainda é preciso integrar a atividade física à saúde corporal, respeitando os limites do corpo e da mente.

Nosso corpo passa por transformações ao longo dos anos, e até mesmo os esportistas não estão livres de terem problemas de postura. A RPG é essencial para atletas iniciantes ou profissionais. Na infância, conforme explica é comum surgir os primeiros sintomas de desorganização do sistema muscular. Nesta fase a criança se desenvolve muito rápido, mais que o próprio osso, gerando uma má postura. O corpo, de uma certa forma, rejeita essa posição, no entanto, ainda não pode ser considerada uma lesão. Neste caso chamamos de tratamento preventivo/estético. Com o passar do tempo se não for feito o tratamento adequado à essa disfunção, as lesões podem se estruturar e se transformar em problemas.

O fisioterapeuta alerta ainda sobre a importância de procurar auxílio de um profissional assim que for percebido os primeiros sintomas de má postura ou dores constantes. O tratamento independe da idade e deve ser feito o mais cedo possível.

Técnica de tratamento


A RPG é uma técnica terapêutica, que tem como princípios trabalhar os músculos que são formados pelas fibras estáticas (músculos antigravitários responsáveis pela nossa posição ereta, e fibra dinâmicas) responsáveis pelos nossos movimentos amplos em todas as direções do espaço. O diagnostico é individual e específico para cada paciente.
É a partir do relato de cada paciente, que o fisioterapeuta faz uma observação do corpo, para avaliar qual o melhor tratamento, dividindo-o em algumas partes: cervical, ombros (cotovelo, punho e mão), dorsal, lombar, quadril, joelho e pés (ante-pé e retro-pé).

Para obter bons resultados no tratamento é necessário descobrir a relação que existe entre uma simples dor do ombro com o resto do grupo muscular. A RPG proporciona um relaxamento respiratório, pois trabalhamos também o principal músculo responsável pela respiração (diafragma), tornando o tratamento global, ou seja, tratamos o corpo como um todo.

Ortopedia e Traumatologia Desportiva

A Fisioterapia em si, previne, trata e reabilita com o intuito de promover o bem-estar individual e coletivo, sendo essa a chave principal para lhe dar com o paciente ortopédico. A Fisioterapia em Ortopedia e Traumatologia atua na investigação, prevenção e tratamento das doenças dos ossos, músculos, articulações e ligamentos.

Trabalha-se na reabilitação de pós-fraturas, entorses, luxações, traumas ou contusões musculares, amputações, distúrbios mecânicos da coluna vertebral, pós-cirurgias, dentre outras, utilizando recursos elétricos, mecânicos, térmicos e hidroterápicos, além das técnicas da cinesioterapia, objetivando alívio do quadro álgico, eliminação de processo inflamatório, melhora na circulação sanguínea, fortalecimento muscular, recuperação de movimentos, equilíbrio, propriocepção e reeducação postural.

Podoposturologia

Os pés são a base de toda sustentação e alinhamento do corpo humano. São eles que nos proporcionam um centro gravitacional de equilíbrio e estabilidade. Entretanto, nossos pés sofrem alterações de natureza causativa, adaptativa e/ou ambas juntamente e quando apresentamos um desequilíbrio no Sistema Postural, desencadeamos as dores, trazendo as limitações nos movimentos nas atividades da vida diária.

A podoposturologia ou reeducação postural através de palmilhas tem sido utilizada para previnir e/ou tratar das lesões. Objetivam reduzir os picos de pressão e diminuir a força de reação ao solo por toda a região plantar, aumentando a eficiência do controle postural durante a posição ereta, na caminhada, na corrida ou na realização da atividade física que o paciente realiza.

Utiliza as informações ascendentes (vindas das plantas dos pés) para diagnosticar e tratar alterações de pisada, desvios posturais e dores no sistema locomotor, como região lombar, quadril e joelhos, obtendo assim, resultados mais satisfatórios e duradouros, evitando recidivas podendo evitar cirurgia.

Bandagem Funcional

Trata-se de uma bandagem elástica funcional, conhecida também como banda neuromuscular ou bandagem elástica. Ela é feita a partir de algodão, possui uma cola especial para grudar na pele e poros para facilitar a respiração cutânea, além de poder ser esticada até 140%.

Criada nos anos 70 na Ásia, este tipo de bandagem tem como funções:

Estabilização;
Contenção;
Imobilização;
Proteção;
Prevenção;
Estimulação.

Segundo o Dr. Kenzo Kase, criador da bandagem elástica conhecida como Kinesio Tape (marca mais famosa dessas bandagens), “os músculos não realizam apenas movimento, mas também influenciam os sistemas circulatório, linfático e térmico”.

A tensão criada a partir da elasticidade da bandagem, segundo o criador da técnica, é capaz de, por exemplo, aumentar o espaço subcutâneo. Isto estaria relacionado com a melhora da circulação local.

Ao aplicar-se a bandagem sobre um músculo, ele pode ser estimulado indiretamente a relaxar-se ou ativar-se, de acordo com a forma de aplicação. Se aplicado no sentido da origem para a inserção do músculo o efeito será de tonificação ou ativação. Aplicando-se no sentido contrário, o efeito é relaxante.

Outros efeitos que podem ser atingidos por meio da aplicação, além da regulação tônica, são a analgesia, estimulação da propriocepção e da consciência corporal e eliminação de bloqueios circulatórios e linfáticos, como edemas e hematomas.